Em testes

Em Portugal nunca me preocupei nada (ou muito pouco) com comida biológica. Talvez porque, dentro do género, os legumes e as frutas são bons em Portugal mas também porque regularmente eu trazia coisas da horta lá de casa que me enchiam a casa de cheiros bons.
Aqui a coisa pia mais fino.... não só as coisas frescas são mais caras (a não ser que comprem a versão "mais um dia e eu já me passei para o lado de lá") mas também porque me sabem a menos. Já tinha andado a pesquisar as quintas de biológicos que levam a casa (em Lisboa, no final da estadia, aderi a isso porque me obrigava a comer mais sazonal) mas só agora descobri uma que, vá se lá saber porquê, me apeteceu experimentar.
Acabei de chegar a casa. Escondidas por baixo dos arbustos no jardim da frente estavam a caixa dos legumes e a da fruta. Quando toquei nas tangerinas fiquei com o cheiro nas mãos. O pão que encomendei tem bom aspecto e é grande (outra coisa difícil por aqui: pão. O que tem aspecto de pão custa sempre os olhos da cara. E na minha aldeia há pão amassado à mão que custa 1,5 euros e me dura a semana toda - isto da vida de emigrante que mora em Londres em faces de muito pouco glamour).
Vamos lá ver o que isto vale....
P.S. Vinha também uma alface que tirei da caixa antes de fotografar. Alface que se trinca e sabe a alface!

Sem comentários: